“HOMEM QUE PROVOCOU MANUELA É POLICIAL CIVIL DO PARANÁ”, DIZ GLEISI

BRASIL CURITIBA ELEIÇÕES 2018 FOTOGRAFIA Golpe 2016 Justiça Lawfare Lula NOTÍCIAS operação lava jato OPINIÃO PERDENDO A RAZÃO POLÍTICA Prisão de Lula PROTESTOS NO BRASIL PT Segurança

A presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR), disse que já se descobriu que o eleitor de Bolsonaro que provocou a deputada Manuela D´Ávila em Curitiba “é uma pessoa da Polícia Civil. Não sabemos se é agente ou delegado, aqui do Paraná”. A declaração foi feita em uma coletiva de imprensa concedida por dirigentes do PT na tarde desta segunda-feira 9.

“Obviamente que vamos tomar as medidas cabíveis, porque isso coloca em risco as pessoas que estão lá. Se um agente de polícia tem uma atitude como esta, o que nós vamos esperar em termos de segurança do acampamento e do próprio presidente”, disse a senadora.

A deputada estadual e pré-candidata do PCdoB à Presidência, Manuela D´Ávila (PCdoB), foi agredida verbalmente no acampamento de Curitiba, próximo à sede da Polícia Federal, onde está preso o ex-presidente Lula, por um desconhecido, eleitor de Bolsonaro, que, após a provocação, foi escoltado por agentes da Polícia Militar e entrou no prédio da corporação com outros dois homens.

O homem pediu para tirar uma foto com Manuela e, quando conseguiu ficar ao seu lado, disse: “aqui é Bolsonaro 2018”. A deputada reagiu dizendo que o problema não era o seu apoio no candidato do PSL. “O problema é que ele voltou escoltado pela polícia e saiu de lá. Eu quero saber quem ele é, eu estava tentando fotografá-lo. Eles têm a obrigação de falar quem ele é. Porque senão eu posso deduzir que ele é o carcereiro, é isso?”, questionou.

“A gente tem o direito de estar preocupado com a integridade física do ex-presidente”, cobrou ainda Manuela, lembrando dos áudios que foram vazados do voo que levou Lula para a prisão. “A obrigação de identificá-lo é da polícia”, completou a parlamentar. O deputado Paulo Pimenta, líder do PT na Câmara, e o senador Lindbergh Farias endossaram a cobrança.

Pimenta destacou que eles não podem aceitar que os manifestantes que defendem a liberdade de Lula, que estão acampados no local, recebam “tratamento extremamente rigoroso, violento” da Polícia Militar e que “qualquer pessoa pode sair do prédio da Polícia Federal, vir aqui hostilizar a deputada Manuela D´Ávila e retornar para o prédio da PF acompanhada de policiais militares. Nós exigimos que essa pessoa seja identificada”, afirmou.

Em coletiva, Gleisi Hoffmann e parlamentares do PT cobram a identificação do homem.

Anúncios

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.