O efeito “Lula Tem Que Morrer” (ISTOÉ) incita ao crime e revela desespero de antipetistas

12 de novembro de 2017 0 Por Redação Urbs Magna
O efeito “Lula Tem Que Morrer” (ISTOÉ) incita ao crime e revela desespero de antipetistas

Colunista Mário Rodrigues: “Pelo bem do país, Lula deve morrer.”

Após a grande indignação gerada pela leitura da infeliz e infame matéria deste  jornalismo ridículo do ‘calunista’ Mário Vitor Rodrigues na revista IstoÉ, era necessário raciocinar com o cérebro doentio do ódio dessa aristocracia da mídia. Era necessário compreender o que leva uma pessoa a pedir o assassinato da outra, numa coluna de uma revista de grande circulação.

Por que uma pessoa chega ao ponto de cometer o crime de incitação ao crime? Será que não raciocina? Ao se pôr no lugar dos adversários de Lula e do PT, mesmo que a mídia propague aos quatro ventos que o ex-presidente e o seu partido estejam destruídos, não é o que mostram os números.

Para implementar o golpe parlamentar, encabeçado por Aécio Neves, no braço político e por Sérgio Moro judiciário, a direita foi queimando um a um os seu líderes. Começou com os baluartes das ex-esquerda, como Cristovam Buarque. Depois, os cassiques do PMDB, chegando ao Aécio, Temer e outros. No final, já sem lenha política, queimaram o Rodrigo Janot e o Ministério Público. Quando sobrava somente o STF, ele também se queimou, com decisões estapafúrdias e rompimentos de diversos princípios constitucionais e legais. Uma delas é a retroatividade da Lei da Ficha Limpa. Nem preciso falar de Aécio Neves e Alexandre de Moraes. Por último, queimaram o próprio herói dos idiotas, o juiz Sérgio Moro. Pergunta: Quem sobrou?

Dória? Não durou um ano e já está morto politicamente. Tão ridículo quantos suas péssimas entrevistas na Band News e seu sorriso besta. Alckmin? É governador do estado que tem mais 20% da população nacional e não emplaca 5% nas pesquisas.

A questão é tão desastrosa, que sobrou a xepa do pensamento anedótico de Olavo de Carvalho, Jair Bolsonaro. Então, surgiu a solução midiática, o Berlusconi narigudo brasileiro, o “Caldeirão” do Huck. Pensem, pra chegar a esse ponto, de praticamente convocarem um palhaço do circo da Globo, pra ser candidato, é sinal de completa falência da centro-direita.

O texto que prega a morte de Lula, nada mais é que o desespero total, já que nas pesquisas o ex-presidente já deve figurar com números superiores a 40% das intenções de voto. Para piorar, devem sair pesquisas que apontam que a maioria desse percentual irá votar em quem Lula apontar, caso seja impugnado. No texto, o jornalista “criminoso” ainda afirma que é necessário derrotar Lula nas urnas. Claro, por que se for preso, quem o substituir, caso vença, fará um governo bem mais radicalizado e prejudicial à mídia velha, ao grande capital e à oposição. Em outras palavras, a centro-direita está num mato sem cachorro.

 

Anúncios