Morte de Eduardo Campos gera favoritismo de Marina?

17 17-03:00 agosto 17-03:00 2014 0 Por Redação Urbs Magna

Marina em campanha em 2010Confirmada como candidata substituta de Eduardo Campos após seu trágico falecimento, a presidenciável Marina Silva pode se beneficiar da reviravolta na campanha eleitoral de 2014. Ela, que já disputou as eleições de 2010 quando obteve 19.636.359 votos correspondentes a 19,33% dos votos válidos, ocupou o terceiro lugar que seguiu para o segundo turno entre Dilma Rousseff e José Serra. O resultado surpreendeu por ser maior em 2,33% do que se previu nas últimas pesquisas de intenção de votos que antecederam as votações daquele ano. A atual candidata do PSB foi derrotada mas deixou grande número de simpatizantes de sua trajetória política nacional. Dados de pesquisas de 2010 prenunciaram que Dilma seria eleita ainda no primeiro turno. Erros como aqueles querem dizer que intenções de voto não refletem a realidade de uma campanha eleitoral, especialmente quando um grande número de eleitores começa a se sensibilizar por acontecimentos como os que pegaram o país de surpresa na última semana. Na despedida de Eduardo Campos foram vistas bandeiras de seu partido, o qual ele era o presidente, em imagens comoventes que levaram o grande público a associá-las à corrida presidencial, fato que acabou se tornando naturalmente uma megacampanha, triste e gratuita, que pode elevar Marina Silva à condição de favorita ante a comoção de todo o povo brasileiro.

Anúncios