Barriga de chopp ou obesidade visceral?

2 02-03:00 fevereiro 02-03:00 2014 2 Por Redação Urbs Magna
Barriga de chopp ou obesidade visceral?

EspanholInglêsatualização 26jun2016 13:35GMTAlemão

 

Tradicional argumento e motivo de piada entre os homens que estão fora de forma, a famosa “barriga de chope ou de cerveja” pode ser o principal sintoma de uma doença séria, a obesidade visceral.  

barriga de choppO Dr. Luiz Vicente Berti, cirurgião do aparelho digestivo, diretor do Centro Cirúrgico da Obesidade e Metabolismo, alerta para os riscos de um abdome com circunferência acima da média. Além de mascarar doenças metabólicas, a gordura visceral tem taxa de mortalidade alta entre os homens porque é o tipo de excesso de peso que oferece maior risco de problemas cardíacos. A gordura não se acumula apenas na parte inferior do abdome, ela também ataca as vísceras. Daí o nome de obsidade visceral. Existe um nível de gordura visceral que cumpre uma função importante de proteção dos órgãos do aparelho digestivo, mas o problema se instala quando esse nível passa dos limites. A obesidade visceral é diagnosticada quando a gordura não está armazenada somente na região subcutânea, mas também nos órgãos internos como estômago, intestino e, principalmente, no fígado. Estatisticamente existe duas mulheres obesas para cada homem. No entanto, elas são as principais vítimas desse problema. Ao contrário delas, que acumulam gordura na região dos quadris, os homens acumulam diariamente estes excessos na região abdominal. Fatores como má alimentação, comer fora de hora e consumir alimentos gordurosos em excesso, são outros aspectos dos maus hábitos da vida moderna que também influenciam no desenvolvimento da obesidade visceral que, além de prejudicar a saúde, interfere no contorno corporal. Esse acúmulo de gordura visceral pode causar outras doenças metabólicas, como diabetes, aumento do colesterol ruim e da taxa de triglicérides, hipertensão arterial, esteatose hepática, problemas respiratórios, entre outras enfermidades que triplicam os riscos de infarto, derrames, entre diferentes ocorrências fatais. Para quem está acima do peso, a ferramenta mais econômica de avaliação é a fita métrica. Homens com circunferência abdominal a partir de 102cm e mulheres de 88cm, devem procurar um médico imediatamente para avaliação, exames clínicos, diagnóstico e um possível tratamento. Sendo visceral ou localizada, o tratamento da obesidade envolve reeducação alimentar, prática de atividades físicas e, em casos mais avançados, quando o paciente não apresenta os resultados satisfatórios com os métodos já citados , recomenda-se a cirurgia bariátrica. A obesidade é uma doença séria e pode matar. Felizmente, tem controle e o paciente pode voltar ao peso idealVale ressaltar que o procedimento cirúrgico não está ligado às questões estéticas. Ele é uma alternativa para que o indivíduo possa ter mais qualidade de vida.

Anúncios