A Era dos Contratos Instáveis

BRASIL DICAS OPINIÃO

A sociedade passa pela era do individualismo e da instabilidade nos contratos. É o que afirma o professor Marco Túlio Zanini, da Fundação do Cabral e da Fundação Getúlio Vargas. “A gente nunca viveu tanta liberdade individual”, diz ele. Como consequência, os contratos “para sempre” perderam a importância. Isso significa, no mundo empresarial, que os funcionários não querem mais passar a vida toda numa companhia, nem a companhia espera que eles fiquem. O problema é que essa nova realidade faz as organizações e sociedade perderem suas referências.As instituições perderam a noção de valor porque tem gente entrando e saindo a toda hora. A sociedade também perde a sua referência porque flexibilizou demais os antigos valores. Como então retomar o que é importante e repensar os vínculos com as pessoas?
Segundo Zanini, para criar uma proposta de trabalho com valor, os empresários precisam voltar aos conceitos originais da companhia – investir nos princípios e nos valores. “Num mundo de incertezas, isso é o melhor a fazer”, diz Zanini. “Isso significa fazer algumas perguntas como: o que é mérito para a minha corporação? O que é talento para o meu negócio? Porque confundimos talento com juventude?”, sugere o professor. “Precisamos entender que talento não é genérico – nem sinônimo de juventude.”
Se a companhia continuar focada na própria sobrevivência, em maximizar receitas e ganhos, ela não resistirá. Para Zanini, é preciso mais do que isso para recompensar os indivíduos. “Ninguém mais quer apenas ‘ter’ hoje em dia”, ele diz. “O ‘ter’está sendo substituído pelo ‘ser’ – porque buscamos sentido para as coisas.”

De: Daniela Diniz para a VOCÊ RH (Mai 2012)

Anúncios

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.