Na Grécia, prostitutas devem portar exame de saúde e são presas se estiverem com AIDS

MUNDO SAÚDE

O novo ministro da Saúde da Grécia, Adonis Yeoryiadis, em junho passado, recuperou uma política controversa que exige exames médicos obrigatórios para as prostitutas. Se  elas forem portadoras do virus da AIDS deverão ser presas e suas fotos serão postadas na internet.

A diretiva foi emitida pela primeira vez no ano passado pelo então Ministro da Saúde Andreas Loverdos, que justificou a ordem comentando que os “pais gregos ficam em bordéis e, em seguida, transmitem a doença em suas casas. ”

22 prostitutas foram presas sob a acusação de serem portadoras da AIDS. Suas fotografias foram intencionalmente publicadas na Internet. Isto provocou uma dura retaliação de algumas organizações de direitos humanos que acusaram as autoridades gregas de violar a legislação sobre proteção de dados pessoais e privacidade.

Grupos radicais revoltados pediram que o governo se preocupe mais com os “milhões de cidadãos sem cobertura médica e com as milhares de crianças que não são vacinadas por falta de medicamentos” do que com as prostitutas.

Anúncios

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.